top of page
  • Foto do escritorPsi Kleber Pereira •●• de Souza

AFETOS.


 

"Família, lugar de afetos..."

Afeto, de forma consisa, pode ser a representação de apego de uma pessoa para outra, bem como a alguma coisa. A expressão condensa bem o amor que uma pessoa sente pela outra, seja expressando por palavras ou ações... Como é comum ocorrer no seio familiar.


■ O que é Afeto: Afeto é, em primeira instância, a disposição de alguém por alguma coisa, seja positiva ou negativa.

Tem sua origem na palavra latina affectus, que significa disposição, estar inclinado a. A raiz vem de afficere, que corresponde a afetar e significa fazer algo a alguém, influir sobre.


É a partir do afeto construído que se demonstram emoções ou sentimentos. Pode se ter afeto por algo, uma pessoa, um objeto, uma ideia, ou um lugar.

Afeto pode ser também, portanto, a expressão sensível ao objeto da afeição, como em: "meus afetos são meu cachorro e minha família".


Afeto na Psicologia

Para a psicologia o afeto, a afetividade, é a capacidade do ser humano de experimentar tendências, emoções, paixões e sentimentos, que o influenciem seus mecanismos psico-emocionais de maneira significativa, podendo inclusive reverberar em suas ações e atitudes.


O afeto é um agente modificador do comportamento. Influencia diretamente na forma como pensamos sobre algo.

Qualquer coisa com a qual uma pessoa se depara, vai existir um afeto envolvido, seja negativo ou positivo. No caso da neutralidade, de algo desconhecido, o afeto passa a ser construído desde o primeiro contato. E vai alterar a forma como a pessoa interage com aquilo.

O afeto tem relação com situações passadas, com experiências vividas em relação a pessoas, objetos ou ambientes no passado. Vivências positivas criam afeto, que é demonstrado no presente pelas emoções.


Ódio também é um afeto, tanto quanto amor, e é estabelecido a partir de experiências negativas. E explicitado por meio de emoções relacionadas à raiva.

Por exemplo, uma viagem agradável por uma cidade nunca vista antes cria uma boa experiência, e passa-se a ter afeto por aquela cidade.


Afeto Embotado

Afeto embotado, ou embotamento afetivo, é um conceito da psicologia também é usado pelo direito penal para caracterizar a retração emocional. É um mecanismo de defesa do ego que corresponde à dificuldade de expressar sentimentos.


É importante não esquecermos que o afeto pode ser, também, a denominação a um "sentimento de carinho por alguém", que se manifesta de várias maneiras - em geral reconfortantes, aconchegantes e agregadores aos envolvidos -, como ocorre em amizades, namoros e relações proximais, como as familiares.


Expressões e/ou sinonímias de Afeto: = • Admiração; • Afeição; • Apego; • Amor; • Carinho; • Estima; • Simpatia; • Ternura;

O antônimo de afeto é desafeto, maldade ou indiferença.

O Afeto na Experimentação e na Psicanálise

Wundt postula que o objeto de estudo da Psicologia é a experiência consciente imediata. Nessa perspectiva, a Psicologia é uma ciência que investiga como um sujeito apreende sensações e sentimentos (conteúdos mentais básicos da experiência imediata).


As experiências postuladas por Wundt – de prazer e desprazer; tensão e relaxamento e excitação e depressão – eram também vistas por Freud através da relação daquele sujeito com aquilo e aqueles que o cercavam. Melhor dizendo, estas experiências seriam moldadas pelos afetos, os fluxos energéticos que acompanhavam as representações mentais criadas nas relações com os objetos externos à experiência individual. O sujeito seria afetado ao longo de suas relações interpessoais. Sua experiência individual era afetada por aqueles que lhe apresentavam e representavam o mundo (a linguagem).


Portanto, a introspecção consciente não bastaria para entender as complexidades da mente – a própria consciência não o faria!


Suas emoções apareciam de acordo com sua experiência afetiva histórica (talvez até pré-histórica!), ou seja, experienciaria sua raiva da maneira que aprendeu a fazê-lo a partir da relação com o Outro. E isso não seria diferente em sua alegria, medo, tristeza, nojo, vergonha ou culpa.


Podemos dizer que também há uma certa dualidade nesse movimento. Isso porque sempre pode se apresentar acompanhado de alegria ou tristeza, dor ou prazer, agrado ou desagrado, satisfação e insatisfação… Etc. Polos diametralmente opostos, mas envolvidos em afetos.


O afeto é uma porta para que possamos agir humanamente. Assim, graças a ele, podemos demonstrar as nossas emoções e sentimentos a outro ente. É um laço que foge de obrigações sexuais, mas que, ainda assim, permite uma relação mais aprofundada entre as partes.

 

68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page